quinta-feira, 23 de abril de 2015

Projeto Sanear Amazônia levará água potável para comunidades extrativistas no Amapá

A secretária de Estado de Governadoria, Renilda Costa, coordenou uma reunião com o presidente do Conselho Nacional da População Extrativista (CNS), Joaquim Belo, na tarde desta quarta-feira, 23, no Palácio do Setentrião. A ideia do Governo do Amapá é apoiar o Projeto Sanear Amazônia, que proporciona acesso a água potável para o consumo humano em comunidades extrativistas do Estado, por meio da disponibilidade do uso de tecnologias sociais do Sistema de Acesso à Água Pluvial Comunitário e Autônomo.

O projeto, que é custeado pelo governo federal, por meio do Ministério do Desenvolvimento Social (MDS) atenderá a princípio 500 famílias da comunidade do Cajarí, na região do Vale do Jarí, que serão beneficiadas com demandas de ações sociais, de saúde, produtivas e de cidadania. A proposta é expandir o projeto para outras regiões extrativistas isoladas e comunidades em áreas de vulnerabilidade social.

Renilda Costa explicou que o Governo do Amapá vai definir um grupo de trabalho, envolvendo as pastas que prestam serviço de assistência ao meio ambiente, água e esgoto, saúde, tecnologia e desenvolvimento rural, para tratar do assunto. 

"Daremos apoio para fazer o levantamento de indicativos e prestar a assistência com os serviços necessários para desenvolvimento humano da população que vive em risco social. Daqui pra frente pretendemos agir de forma integrada, sempre buscado a melhoria dessas comunidades extrativistas", disse a secretária.

Além dos benefícios sociais, a proposta tem assegurado o abastecimento de água potável para 2.800 famílias extrativistas de forma direta em regiões da Amazônia. O projeto realiza trabalhos de coleta de água tratada para consumo, adoção das melhores práticas de higiene, disposição de dejetos, além de envolver toda a população de forma justa independente do gênero e idade.
O presidente do CNS garantiu que, com o apoio do governo do Estado, outras ações poderão ser exploradas nas comunidades em risco social. 

"Com a participação efetiva do Governo do Amapá na elaboração dessas políticas e ações aqui anunciadas, nós iremos explorar outro projetos, visando sempre buscar a melhoria de vida dessas comunidades extrativistas", disse Joaquim Belo.

Também participaram da reunião, representantes da Companhia de Água e Esgoto do Amapá (Caesa), Secretaria de Desenvolvimento Rural (SDR), Secretaria de Inclusão e Mobilização Social (SIMS), Secretaria de Estado da Saúde (Sesa), Centro de Gestão da Tecnologia da Informação (Prodap) e Secretaria de Estado de Ciência e Tecnologia (Setec).

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Moradores da Avenida 15 de Novembro no bairro do Paraíso sofrem com alagamentos constantes

Por Iran Froes Moradores da Avenida 15 de novembro, no bairro Paraíso, no perímetro das ruas Osvaldo Cruz e Padre Vitório Ga...