quinta-feira, 23 de abril de 2015

Projeto Sanear Amazônia levará água potável para comunidades extrativistas no Amapá

A secretária de Estado de Governadoria, Renilda Costa, coordenou uma reunião com o presidente do Conselho Nacional da População Extrativista (CNS), Joaquim Belo, na tarde desta quarta-feira, 23, no Palácio do Setentrião. A ideia do Governo do Amapá é apoiar o Projeto Sanear Amazônia, que proporciona acesso a água potável para o consumo humano em comunidades extrativistas do Estado, por meio da disponibilidade do uso de tecnologias sociais do Sistema de Acesso à Água Pluvial Comunitário e Autônomo.

O projeto, que é custeado pelo governo federal, por meio do Ministério do Desenvolvimento Social (MDS) atenderá a princípio 500 famílias da comunidade do Cajarí, na região do Vale do Jarí, que serão beneficiadas com demandas de ações sociais, de saúde, produtivas e de cidadania. A proposta é expandir o projeto para outras regiões extrativistas isoladas e comunidades em áreas de vulnerabilidade social.

Renilda Costa explicou que o Governo do Amapá vai definir um grupo de trabalho, envolvendo as pastas que prestam serviço de assistência ao meio ambiente, água e esgoto, saúde, tecnologia e desenvolvimento rural, para tratar do assunto. 

"Daremos apoio para fazer o levantamento de indicativos e prestar a assistência com os serviços necessários para desenvolvimento humano da população que vive em risco social. Daqui pra frente pretendemos agir de forma integrada, sempre buscado a melhoria dessas comunidades extrativistas", disse a secretária.

Além dos benefícios sociais, a proposta tem assegurado o abastecimento de água potável para 2.800 famílias extrativistas de forma direta em regiões da Amazônia. O projeto realiza trabalhos de coleta de água tratada para consumo, adoção das melhores práticas de higiene, disposição de dejetos, além de envolver toda a população de forma justa independente do gênero e idade.
O presidente do CNS garantiu que, com o apoio do governo do Estado, outras ações poderão ser exploradas nas comunidades em risco social. 

"Com a participação efetiva do Governo do Amapá na elaboração dessas políticas e ações aqui anunciadas, nós iremos explorar outro projetos, visando sempre buscar a melhoria de vida dessas comunidades extrativistas", disse Joaquim Belo.

Também participaram da reunião, representantes da Companhia de Água e Esgoto do Amapá (Caesa), Secretaria de Desenvolvimento Rural (SDR), Secretaria de Inclusão e Mobilização Social (SIMS), Secretaria de Estado da Saúde (Sesa), Centro de Gestão da Tecnologia da Informação (Prodap) e Secretaria de Estado de Ciência e Tecnologia (Setec).

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ação odontológica avalia cerca de 100 pacientes em Santana.

O Centro de Especialidades Odontológicas do Amapá (CEO) realizou cerca de 100 atendimentos de avaliação odontológica.  A ação que atendeu ...