segunda-feira, 27 de novembro de 2017

Bandidos assaltam ônibus da linha Macapá/Santana causando medo e pânico

Um ônibus da linha Macapá/Santana foi alvo de ação criminosa na noite deste domingo (26), quando trafegava na Rodovia JK, em frente ao Parque de Exposição no Distrito da Fazendinha.

A atuação dos bandidos causou medo e pânico nos passageiros, cobrador e motorista. Segundo relato das vitimas dois homens com aparência de idade entre 18 a 22 anos, entraram no coletivo fingindo serem passageiros ao chegar em frente ao Parque de Exposição, na rodovia JK, usando um revolver anunciaram o assalto subtraindo objetos dos passageiros, como também o valor da renda das viagem.

Em seguida, desceram do veículo fugindo em destino ignorado, até o fechamento da matéria a policia não havia encontrado os suspeitos. Durante o ano de 2107, já ocorreram quatro assaltos a ônibus da linha Macapá/Santana neste mesmo trajeto.

quinta-feira, 23 de novembro de 2017

Creche Liana Sardinha é arrombada por bandidos, vários objetos foram levados

A Creche Municipal Professora Liana Sardinha, localizada no final da Avenida Santana, próximo ao Parque das Laranjeiras, em Santana, foi invadida e arrombada por bandidos na madrugada desta quarta-feira (22).

Segundo informações, três suspeitos entraram na creche que está sem vigilante, arrebentaram a grade de proteção de uma das salas da instituição levando vários objetos de uso escolar.

“Até o momento já foram constatados o sumiço de dois computadores e pequenos objetos como grampeador e tesouras”, disse um funcionário da instituição, pelas redes sociais, pedindo sigilo de sua identidade. 

Não é a primeira vez que o estabelecimento escolar sofre com a ação de criminosos. Em março desse ano, a entidade foi invadida por bandidos que usaram terçados e outras “armas brancas”, onde renderam os vigilantes no local e levaram vários pertences. 

A Secretaria Municipal de Educação de Santana (Seme) foi procurada para fala sobre o ocorrido, porém ninguém quis comentar.

terça-feira, 21 de novembro de 2017

MPF cobra 100 milhões de mineradora por desabamento de porto em Santana

Acidente que causou o desabamento do porto da Zamim/Foto: Agência Amapá
Foi ingressada na Justiça pelo Ministério Público Federal (MPF) uma ação que pede a condenação da mineradora Zamin pelos danos materiais e mortes causadas no desabamento, em março de 2013, do porto de exportação da cidade de Santana. O processo cobra R$ 100 milhões da empresa para recuperação ambiental da área atingida, indenização das famílias e por danos à coletividade.

O acidente vitimou seis trabalhadores, sendo dois deles nunca encontrados, além de ter arrastado caminhões, estruturas e grande quantidade de minério de ferro para o rio Amazonas. Após o ocorrido, as atividades foram suspensas no Amapá e a mineradora acumulou demissões e dívidas.

A ação do MPF é baseada em laudos que apontam a negligência da mineradora em acumular grande quantidade de minério de ferro e manganês no porto, sobrecarregando o solo. O processo foi protocolado na quinta-feira (16) na 6ª Vara da Justiça Federal do Amapá.


A mineradora sempre negou a responsabilidade no acidente, atribuindo o fato a fenômenos da natureza, e que cumpriu o limite de carga estabelecido no porto. 


Apesar de à época a administração do terminal estar sob responsabilidade da empresa Anglo Ferrous, a ação pede a condenação da Zamin pelo fato de as duas integrarem o mesmo grupo empresarial, explicou Joaquim Cabral da Costa Neto, procurador da República.


Após o acidente, a Anglo anunciou em setembro de 2013 a venda das minas de ferro no Amapá por 136 milhões de dólares. A Zamin Ferrous comprou os ativos da empresa inglesa e ainda não concluiu as obras de recuperação da área portuária atingida.

"Houve seis perdas e a responsabilidade é diretamente do grupo que comandava a atividade na região, tendo em vista que ele sobrecarregou o terminal. Em face disso, cada família, além do tratamento psicológico de cada um, pedimos também indenização vitalícia num valor equivalente à sua remuneração", completou o procurador do MPF.

Para garantir valores durante o andamento processual, a ação ingressada pede o bloqueio antecipado dos R$ 100 milhões, afim de garantir a recuperação ambiental da área. O ministério também não descarta a possibilidade de acordos para acelerar os atendimentos aos atingidos.

"Além disso, o MPF pediu uma reparação social, que é uma solenidade na qual a empresa reconhece a culpa pelo acidente, e como se fosse também uma espécie de desculpas à sociedade", acrescentou.

Fonte: G1 Amapá

terça-feira, 14 de novembro de 2017

Passagem de ônibus intermunicipal vai para R$ 3,75

O Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Amapá (Setap) pretende aumentar para R$ 3,75 o valor da tarifa de ônibus que fazem a linha Macapá/Santana. O Setap alega que o atual valor de R$ 3,00 cobrado pela tarifa nos coletivos está defasado desde 2015, além disso, o órgão expedidor reclama que a sugestão tarifária é muito baixa se for calcular os altos gastos com abastecimento de combustíveis, além das atuais correções salariais dos trabalhadores rodoviários e manutenção periódica dos ônibus. Para garantir o reajuste o Sindicato poderá acionar a justiça. O novo valor, possivelmente será cobrado em 2018.

O pedido de reajuste já vem tramitando desde o último mês de junho passado, quando foi protocolado na Secretaria de Estado dos Transportes (Setrap), que até então vem analisando a situação.

segunda-feira, 13 de novembro de 2017

Mulher agredida durante ocorrência diz que não ameaçou a família do policial

Michele Ferreira Correia, 31 anos/Fotos: Joelson Palheta
A dona de casa Michele Ferreira Correia, de 31 anos, que aparece em um vídeo sendo agredida por um policial militar com um tapa no rosto em uma área de ponte no fim da 9ª Avenida do bairro Congós, zona sul de Macapá, disse no início da noite desta segunda-feira, 13, em entrevista ao programa Café com Notícia (Diário 90,9FM), que em momento algum ameaçou a família do policial, como declarado por ele ao justificar a agressão.

O caso ocorreu na tarde desse domingo, 12. A polícia havia recebido uma denúncia de maus tratos das três filhas de Michele, sendo elas com idades de 4, 5 e 8 anos.

“Eu confesso que havia repreendido minhas filhas, mas não as espanco diariamente, como dito pelos meus vizinhos. Eu estava muito nervosa. O que ocorre é que esses vizinhos que fizeram a denúncia não gostam de mim. Sobre o fato do policial, eu em momento algum ameacei a família dele, jamais faria isso. O que eu disse foi que ‘Deus estava vendo aquilo’. Foi quando ele me agrediu com o tapa no rosto”, disse Michele.

Após ser presa, Michele foi apresentada no Conselho Tutelar Zona Sul. As crianças ficaram sob custódia do estado e estão em um abrigo por decisão da Justiça. Michele passou a noite presa na Delegacia Especializada em Crimes Contra a Mulher (DECCM) e nessa segunda-feira foi encaminhada para uma audiência de custódia onde foi arbitrada fiança de R$ 5 mil, mas como ela não tem fonte de renda deverá pagar a fiança por meio de prestação de serviço comunitário, sendo obrigada a assinar todos os meses no Fórum de Macapá.
Ainda não se sabe o destino das três meninas. O caso deverá ser avaliado e depois a própria Justiça, com base em um estudo técnico, deverá dar o parecer final sobre o caso.

“Estou com medo de perder minhas filhas. Não sei o que vai acontecer”, declarou a dona de casa. Michele também disse que não vai representar contra o policial. “Não quero prejudicar ninguém. Não vou representar contra esse policial”, concluiu.

A reportagem entrou em contato com a Divisão de Comunicação da PM e aguarda posicionamento oficial sobre as medidas tomadas sobre o fato.

Fonte: Diário do Amapá

domingo, 5 de novembro de 2017

Idoso é morto a facadas no Jardim de Deus

Imagem: Reprodução WhatsApp/Vítima Clemente Correa de Souza, 70 anos

Um idoso de 70 anos foi morto com duas facas na parte do tronco na madrugada deste sábado (4), no bairro Jardim de Deus, em Santana, distante 17 quilômetros de Macapá.


Segundo informou a PM, Clemente Correa de Souza, 70 anos, teria sido convidado por um casal para beber em uma residência na rua da Paz, bairro Jardim de Deus. Um desentendimento durante a bebedeira pode ter causado a morte da vítima que sofreu duas facadas no tronco, no revide o idoso ainda conseguiu ferir o suspeito a facadas.

O filho da vítima relatou, sempre no dia do pagamento o dito casal convidava o idoso para beberem juntos.


No depoimento dos filhos, foi apurado pela polícia que o principal suspeito do crime devia cerca de R$ 1 mil, e falava que pagaria a dívida à vítima, os policiais suspeitam que a cobrança do valor pode ter causado um desentendimento que levou a morte de Clemente.

“Eles teriam se desentendido durante a bebedeira e a vítima acabou levando duas facadas na região do peito, mas ele (a vítima) ainda chegou a revidar e feriu o acusado como defesa”, relatou o policial que atendeu a ocorrência.


No Pará, Assentados sofrem ameaças de pistoleiros, diz presidente de Associação

O presidente da Associação dos Moradores e Agricultores do bairro da Beata (AMAB), composta trabalhadores rurais do assentamento Nova União, em Porto de Moz, região oeste do Pará, denuncia os empresários Rivaldo Salviano Campos e Orivaldo Duarte Souto. Na gravação, o agricultor relata que os assentados recebem ameaças de morte constantemente por homens que seriam pistoleiros e recebem ordem dos empresários. No vídeo o trabalhador diz que dois agricultores já foram baleados pelos supostos criminosos.

Membros da associação informaram que a justiça determinou através de audiência a posse do terreno para o Assentamento Nova União, localizado no Km 58 da PA 167.

                                             Assista ao vídeo!


Fonte: Porto de Moz em Foco

quarta-feira, 1 de novembro de 2017

Família americana que estava desaparecida é resgatada no Pará

Uma família americana que estava desaparecida desde o último domingo no Pará foi resgatada nesta quarta-feira na região de Marajó. Ainda não há detalhes sobre como eles foram encontrados.

O casal Adam Harteau, de 39 anos, e Emily Harteau, de 37, e suas duas filhas haviam desaparecido após o ataque de piratas a uma balsa que fazia o trajeto entre Belém a Macapá. O assalto aconteceu no momento da passagem pelo Rio Furo Grande, ao norte da Ilha do Marajó e já nas proximidades do território do Amapá.

Ao localizar a balsa, a polícia identificou a van utilizada pela família, que foi conduzida até Macapá. Segundo relato das vítimas, os assaltantes estavam fortemente armados. Em nota, a Secretaria de Segurança Pública do Pará (Segup) informou que abriu inquérito para investigar o caso em parceria com outros órgãos.

“O empurrador e a balsa teriam sido deslocados para uma área conhecida como Porto dos Dias, onde os piratas retiraram os produtos do roubo e abandonaram as embarcações, deixando os tripulantes e passageiros presos. Com a chegada da polícia, foi constatado que Adam Harris Hateau, Emily Faith Hateau e as duas crianças, de aproximadamente 3 e 7 anos, já não estavam mais na balsa” declarou a secretaria paraense.

Viajantes

Adam, que é artista, e Emily, designer de moda, viajam pela América desde 2012 e tiveram a segunda filha em Florianópolis, em 2014. Eles se locomovem pela van encontrada na balsa. O último registro online da família ocorreu no sábado, 28, quando o veículo atolou em uma estrada com lama entre Salvador e Recife. Em um perfil no Instagram, a família narra as aventuras turísticas e se classifica como “nômade”.

Fonte: Veja

Ação odontológica avalia cerca de 100 pacientes em Santana.

O Centro de Especialidades Odontológicas do Amapá (CEO) realizou cerca de 100 atendimentos de avaliação odontológica.  A ação que atendeu ...